Sua revista online sobre Literatura, Cultura e Entretenimento
“"Os livros são abelhas que levam o pólen de uma inteligência a outra."”  (James Lowell)
REPORTAGENS
Ver todas
Publicada/atualizada por Luiz Ehlers em 02/03/2014, às 13:03 | 3 comentários
Criando seu mundo fantástico
Renan Carvalho destaca os erros mais comuns…

Renan Carvalho

 

Estava navegando sem compromisso pela internet quando um amigo me enviou o link de um vídeo sobre a criação de mundos fictícios. Assisti a tudo com bastante interesse e depois fiquei pensando se aquilo fazia sentido. É sempre fácil olhar os bestsellers e ver o que foi feito em comum neles, desvendando possíveis fórmulas para o sucesso. Mas a maior dúvida está em como aplicar essas regras em uma nova história sem cometer erros comuns de autores iniciantes.

Escrever um livro de ficção fantástica não é uma tarefa fácil. Já ouvi de diversos colegas autores, extremamente habilidosos em seus estilos literários, que jamais se arriscariam na fantasia pelo simples motivo de que escrever em um mundo diferente do nosso requer uma abstração fora do comum.

E isso é a mais pura verdade. Em um mundo diferente, existem regras diferentes. O autor deve pensar em todos os detalhes para criar uma experiência única dentro daquele universo para o qual se quer levar o leitor. Dá para conseguir isso da noite para o dia? Não, não dá.

mundo_fantastico_Stephen_Alvarez_12Um mundo fantástico tem que apresentar uma cultura e um estilo de vida próprios. Tem que fazer com que o leitor acredite naquilo, como se fosse realmente possível viver em um lugar diferente. Quem nunca se imaginou lançando um feitiço de Harry Potter, lutando com um sabre de luz ou vestindo a armadura de uma das constelações do zodíaco? Nossa imaginação só chega a esse ponto porque J.K. Rowling, George Lucas e Masami Kurumada foram excelentes em criar seus próprios mundos. Quando nos submetemos às regras aplicadas a esses ambientes fantásticos, é plenamente possível voar em uma vassoura, pilotar uma Millennium Falcon ou elevar seu cosmos até o sétimo sentido.

Mas o mercado literário não está repleto de escritores com essa imaginação? Não vemos livros e mais livros de fantasia sendo publicados? De fato sim, porém muitos deles acabam errando na hora transcrever esses mundos para o papel e uma boa ideia acaba desperdiçada em um texto ruim. Vou citar alguns erros muito comuns que autores cometem na hora de criar seus mundos fantásticos.

Um deles é o medo de que o leitor não vá se situar no ambiente apresentado e para evitar o problema, o autor tenta explicar tudo nas vinte primeiras páginas do livro. Quem está lendo aprende sobre os costumes, as vestimentas, as leis, a moeda, a magia, sabe que os cavalos voam com chamas nos pés e ainda vê um flashback de uma guerra no passado que explica porque o rei quer se vingar do reino vizinho… ufa! Garanto que muitos leitores não conseguirão passar por isso sem sequelas. A chance de um livro como esse ser largado antes mesmo da história começar é muito grande. Eu mesmo já abandonei leituras que são extremamente enfadonhas no começo por quererem apresentar, de uma única vez, todo o mundo fantástico que o livro propõe. A fantasia tem que ganhar o leitor aos poucos. É como um mergulho profundo no oceano. Você desce devagar, apreciando a paisagem exótica.

Outro erro comum é subestimar a imaginação do leitor. Um mundo fantástico tem coisas diferentes, isso já sabemos, mas nem tudo precisa ser minuciosamente descrito. Não tem nada pior do que um livro que encara o leitor como um asno. Quando estamos falando de um castelo, vamos nos resumir em explicar apenas aquilo que aquele castelo tem de especial. Todo leitor, atualmente, conhece castelos em seu repertório. Deixe-o imaginar algumas coisas também, não dê tudo mastigado. Muitas vezes, um detalhe é o suficiente para que o leitor imagine a cena toda. Se o personagem entra em uma casa por um grande salão de entrada, com tapetes persas, poltronas de veludo e colunas de mármore, já se sabe que ele está em uma mansão. E tenho certeza de que o leitor dará as pinceladas finais na cena, com sua própria imaginação. O autor deve se propor a descrever em detalhes aquilo que é importante para a história e que provavelmente o leitor não consiga abstrair sozinho.

Por fim, o terceiro erro e o mais sério, é parar de fornecer novidades desse mundo. Se sua história acontecerá em mais de um livro, o leitor precisa conhecer coisas novas desse mundo nos livros seguintes. Não gaste todas as fichas no primeiro. Apresente novos lugares e novas culturas ao passo que o leitor viaja pela história. Uma série de fantasia que não tem elementos fantásticos novos para entregar, certamente cairá na mesmice e logo será esquecida.

Certa vez li um artigo do Draccon e ele dizia que uma pessoa se torna autora quando cria um mundo que só pode ser alimentado por ela mesma. Nada mais justo para a fantasia. Seus livros tem que continuar fornecendo ideias, fomentando sonhos. E só você pode fazer isso, da primeira até a última página.

Vídeo do TED sobre criação de mundo fictícios:

_________________________

Renan Carvalho faz parte da nova geração de escritores nacionais. Formado em Marketing pela Universidade de São Paulo, estudou comportamento de consumo e publicidade. Antes de escrever, fez cursos de estruturação de romances e técnicas de criação de textos. Seu primeiro livro, o romance fantástico “O Encantador de Flechas”, esgotou em quatro meses e conquistou um número de fãs considerável na internet. Atualmente ele trabalha em outros projetos literários e continua no ramo do marketing.renancarvalho.net.br

Comentários (3) | Comente:

Nome:
Email:
Site:
Comentário:

Isabela Mazza comentou em 02/03/2014, às 15:08:

Realmente, tudo que você disse precisa ser aplicado em um mundo fantástico! Saber equilibrar o que se antecipa para os leitores também faz parte; não vou dizer que é um processo complicado o pior é saber mesclar tudo e criar algo realmente interessante e novo, mas principalmente coerente e bom.
Uma escrita simples me interessa muito mais que algo detalhista em excesso, que descreve até quantos galhos a árvore da cena tem. Aí não dá, rsrs!
Artigo muito bom! Parabéns, Renanas =D

Mari Scotti comentou em 02/03/2014, às 16:04:

Muito bom Renan! Adorei as dicas! Beijo, Mari

Renan Carvalho » Coluna Revista Fantástica – Criando seu mundo de fantasia comentou em 06/03/2014, às 20:57:

[…] Confira o primeiro artigo clicando aqui! […]

Livraria Fantástica | Papo Fantástica | EM FOCO | REPORTAGENS | LANÇAMENTOS | MATÉRIA DE CAPA | RADAR | INDICAÇÕES | Livro Tributo | Espaço Fantástica | Parceiros
72dpis Web Design